segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Professor: herói anônimo que luta em prol da educação

Com o objetivo de orientar e proporcionar metodologias inovadoras, a prof.ª de biologia Rita de Cassia M. de Oliveira, promoveu um encontro entre as turmas das 8ª séries do Ensino Fundamental da E. E. José Alves de Cerqueira César com palestra, produção e apresentação de trabalhos com o tema “Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis”.
O evento aconteceu após o intervalo no último dia 09/08/2012 e teve a duração de 3 (três) aulas. Os(as) alunos(as) fizeram muitas perguntas, demonstrando bastante interesse a respeito do assunto, o que suscitou dúvidas e curiosidades sobre gravidez na adolescência, fato que preocupa pais e professores.
Diante do que aconteceu, vai uma sugestão: transformar esse tema delicado, cheio de tabus, e importante para a área da saúde, num projeto pedagógico permanente onde os estudantes podem perguntar, tirara as dúvidas e esclarecer questões individuais para melhorar a qualidade de vida.
A internet, é o meio onde esses jovens vivem conectados, buscando soluções incertas, conversando com pessoas desconhecidas. Por que, então, não abrir um canal para canalizar e tirar todas as dúvidas desses jovens? A proposta é usar a tecnologia (internet), como ferramenta de educação e aprendizagem. Um espaço de comunicação entre os estudantes e os professores, para que todos possam perguntar sem constrangimento principalmente os mais inibidos, tudo o que desejam saber. As respostas podem servir de esclarecimento para outras pessoas que poderiam desconhecer o assunto e assim se informar, eliminar os tabus, manter o anonimato e eliminar a timidez, já que a vergonha é um dos fatores que impedem a transmissão das informações e dos saberes em casos como esse.
Falam, generalizando, nas mídias, que os professores são os responsáveis pelo quadro caótico em que a educação se encontra no Brasil. Mas, a educação ainda se mantém, por que existe muitos professores(as) persistentes. O problema, é que querem acabar com a categoria. Quer saber como? Impedindo-os de comandar a sala de aula, tirando sua autoridade, fazendo campanhas para provar a incapacidade deles, tentam desacreditar suas práticas, proíbem que se comunique livremente com os alunos sob pena de constrangimento. O poder da imprensa é enorme. Ela fala a todo momento o que pensa, usa o tempo que lhe convém a seu favor para falar a sua versão para milhões de pessoas ao mesmo tempo e não existe espaço nesses veículos controlados pelo “sistema” para esses profissionais (professores)poderem expor suas ideias. É uma luta desigual em que o sistema mantem a dianteira e os vassalos (professores que trabalham para se manterem vivos, terem o que comer), simplesmente, resistem; lutam isoladamente e aguentam firmes os percalços impostos pelo "destino".














Nenhum comentário:

Postar um comentário