sexta-feira, 25 de maio de 2012

Super-heróis brasileiros aliados do processo ensino-aprendizagem



E. E. José Alves de Cerqueira César
Av. São Luiz, 484 Vila Rosália - Guarulhos – SP - Fone: 2455-0166.
Diretoria Regional Guarulhos - Sul
Diretora: Claudete Claudio Saker – Vice-diretora: Ivone de Miranda Coelho Pinto
Coordenação: Antônia M. Silva
Supervisor: Aziz Saker
  
OS VINGADORES AO LADO DOS SUPER-HERÓIS BRASILEIROS
Aliados do processo ensino-aprendizagem

Proponentes:
Denis Basílio de Oliveira – ARTES
Renata Angela de Brito Xavier – GEOGRAFIA
Rosely Vigilante Martins- PORTUGUÊS
Sara Mellina Baff - CIÊNCIAS
Renan Feitosa - MATEMÁTICA
Cleide Oliveira Santos - HISTÓRIA
Antonio Eduardo Gomes Germino – EDUCAÇÃO FÍSICA
  
Alunos envolvidos: Ensino fundamental I – 5ª séries A B C D E
Período de realização: maio de 2012

Resumo
Este projeto pretende apresentar o universo ficcional da criação de super-heróis brasileiros, discutir os elementos comportamentais, físicos, geográficos, artísticos, científicos, políticos e culturais que permeiam a sociedade e o mundo onde vivemos, tendo como ponto de partida o filme “Os Vingadores” e por meio dele, levar os alunos a conhecer a produção brasileira de super-heróis incentivando-os a criar seus próprios personagens e com isso fazê-los descobrir os critérios ou mecanismos que dão credibilidade a essas criações ficcionais.

 Introdução/Justificativa
Ensinar é desenvolver o raciocínio, é estimular o pensamento independente, a criatividade e a capacidade de resolver problemas. Como educadores, devemos procurar alternativas para aumentar a motivação para a aprendizagem, desenvolver a autoconfiança, a organização, a atenção, o raciocínio lógico e senso cooperativo, desenvolvendo a socialização e aumentando as interações do indivíduo com as pessoas.
Os trabalhos, se convenientemente planejados, são um recurso pedagógico eficaz para construção do conhecimento. A fantasia estimula a curiosidade e a autoconfiança proporcionando a desenvolvimento da linguagem, do pensamento, da criatividade e da atenção.
O lançamento do filme “Os Vingadores”, foi bastante divulgado pelos meios de comunicação de massa e chegou ao conhecimento dos alunos que já sabiam da sua existência por meio das histórias em quadrinhos e dos desenhos animados, o que despertou a curiosidade para comentar e o interesse para assistir. O projeto em questão se baseou no interesse dos alunos pelo tema próprio a sua faixa etária, onde a magia e a fantasia se encontram liberando a imaginação e promovendo um ambiente agradável para um mundo de conhecimento em que os professores de cada disciplina mostrarão o que é possível e o que ainda vai permanecer no imaginário, até que o que é fantasia hoje, possa se tronar realidade amanhã. Exemplos não faltam e vem desde os filmes de Georges Méliès, com o seu foguete viajando até a lua, isso em 1902, numa época em que voar não passava de pura fantasia. O primeiro voo registrado no mundo foi oficializado em 1906, por Santos Dumont com o 14-bis, ou seja, a imaginação se torna ferramenta para as descobertas, portanto, a fantasia faz parte da vida de todos e deve ser usada para aprimorar e facilitar os estudos como pretende fazer esse projeto. Ir ao cinema, é concretizar a fantasia de algumas crianças que não tem a oportunidade. A escola é o lugar de realizações e da promoção da inserção dos alunos na sociedade, com informação e cultura. Com um projeto interdisciplinar como esse, todos podem falar com unidade para que o educando também entenda que as disciplinas caminham numa mesma direção. O cinema é uma linguagem artística autônoma que abarca todas as faixas etárias em especial os adolescentes, público com o qual o tema será desenvolvido.
A revista Super Interessante número 7 de setembro de 1993, em sua matéria de capa, abordou o assunto de maneira científica com a chamada “A fantástica ciência dos super-heróis”. Gian Danton fez uma dissertação em seu mestrado falando da teoria do caos com a obra de Allan Moore e Dave Gibbons Watchmen e agora Os super-heróis brasileiros incentivarão nossos alunos a partiram numa aventura cheia de conhecimento, informação, cultura e patriotismo, desbravando com a Língua Portuguesa, a Matemática, a História, a Geografia, as Ciências e as Artes um universo de saberes, prazeres e assim mostrar que também são produtores de conhecimento e podem assimilar os estudos nas diversas abordagens. 
Estratégica
Em ARTES, os alunos terão contato com os personagens mais significativos do Brasil, bem como seus criadores, como o Raio Negro, Homem Lua e Hidroman de Gedeone Malagola, em 1965; A Garra Cinzenta, em 1937, criado por Renato Silva e Francisco Armond; Escorpião, em 1966, de Wilson Fernandes; Judoka, em 1969, com roteiro de Pedro Anísio; Quebra-Queixo, em 1990, de Marcelo Campos; Velta de Emir Ribeiro; Cometa de Samicler Gonçalves, até a produção Humorística de Glauco, Laerte, Angeli, sem esquecer o genial Henfil com o Capitão Zeferino e uma das maiores lendas brasileiros, ou melhor, uma figura real, misto de Herói para uns e vilão para outros, retratado em aventuras históricas, mostrando o nordeste brasileiro e sua cultura por Klévisson, Flávio Colin, Ruben Wanderley Filho e até por estrangeiros, como Hermann, entre outros artista; é o personagem Lampião o Rei do Cangaço, gênero exclusivo do Brasil, com o objetivo de ampliar o repertório do educando e assim permitir que ele possa criar, com técnicas variadas de desenho, pintura, colagem, decalque, fotografia, composição, enquadramento, e especificamente a criação de vestuário com a escolha dos uniformes e a descoberta de seus poderes. Então, por meio desse projeto os alunos serão levados ao campo das artes e de sua comercialização, entendendo um pouco os segredos da profissionalização, do trabalho e o uso das artes no mundo do entretenimento.

Objetivos
A ARTE faz parte da vida de todos, seja com a música, a dança, o teatro, o cinema, as histórias em quadrinhos ou as artes visuais. Nesse projeto, além de discutir o tema, pesquisar para saber mais sobre o assunto, com demonstração em sala de aula, os alunos serão incentivados a criar, observar, comparar, avaliar, e decidir escolhendo a opção que mais lhe agradar. Para isso ele terá que dar visibilidade as suas ideias por meio do desenho, um dos objetivos do projeto, complementando com o uso do cânone, desenvolvido pelo escultor grego Policleto no ano 420 AC, passando por outro Grego do ano 320 AC, Lisípo, depois saberá como construir a figura humana com o uso da geometria, transportando medidas, chegando ao padrão usado atualmente na proporcionalidade da figura humana normal que é de sete cabeças e meia, para a proporção dos super-heróis entre oito e nove cabeças de altura. Desta forma, o filme “Os Vingadores” e os Super-heróis brasileiros, são uma ponte entre os saberes para que a assimilação possa ficar na memória de forma prazerosa e divertida, próprio do mundo de fantasia das crianças.
Conteúdo:
ARTES: Desenho, pintura, colagem, linguagens artísticas: cinema, histórias em quadrinhos, criação de personagens, super-heróis.

Ações:
Apresentação de personagens de histórias em quadrinhos; leitura de imagens dos personagens com seus uniformes, poderes e super-poderes, aspectos físicos das figuras; as criações de artistas brasileiros e seus respectivos personagens; um pouco de história e a produção dos alunos.

Resultados:
Espera-se que os alunos desenvolvam a capacidade de observar, avaliar e criar, comparando e analisando as imagens que serão apresentadas e ao final do processo será realizada uma mostra dos trabalhos denominada: “Galeria de super-heróis brasileiros” criados pelos alunos.

Conclusão

O conhecimento está em todo lugar, a escola é o templo maior, consagrado para esse fim, e a sala de aula o lugar específico onde o educador e os educandos se reúnem em hora determinada, no entanto, a sala de aula é limitada para essa tarefa nesse mundo globalizado ao qual nos encontramos, repleto de inovações, curiosidades, tecnologias, efeitos, acontecimentos e produtos sedutores. A sociedade avança e a escola não pode ficar alheia a essas mudanças, os alunos estão acompanhando, vendo e vivenciando tudo isso. Portanto, usar e sair para ver esse mundo em expansão com os alunos de forma controlada como parte do projeto pedagógica escolar é de fundamental importância, tanto para a escola, alunos, como para os professores. É um caminho que leva a contextualização por onde se vê sentido nos conteúdos trabalhados na escola. Assim o aluno pode entender melhor o que ele está estudando (aprendendo) com objetividade e sentido real. A escola deve mostrar o mundo real e usar essa realidade em prol da aprendizagem envolvendo a comunidade, abrindo as portas para receber e mostrar o que está fazendo e ir onde os acontecimentos estão. Esse projeto é um exemplo de participação real que une os conteúdos curriculares ao meio social com  um produto conhecido dos educandos para estudar a proposta curricular de forma diferenciada. Assim todos já estão convidados para a exposição que terá início no dia 31 de maio de 2012 na E.E. José Alves de Cerqueira César.


Nenhum comentário:

Postar um comentário